10 de dez de 2015

Stony, Uma História Diferente +18

Era uma festa de fim de ano qualquer para os Vingadores. Todos estavam se divertindo na casa de Tony Stark. E eu, eu estava observando o anfitrião dançando com sua ex-namorada, Pepper. Já faz um tempo que um sentimento forte nasceu em mim em relação a esse homem, porém nunca me declarei ou toquei no assunto, sempre tentei negar a mim mesmo, mas agora, vendo o gênio galanteador sorrindo e dançando com sua ex, já estava quase perdendo o controle e fazendo a pior decisão da minha vida, para não dizer "cagada". Tentei me segurar, então fui conversar com alguns amigos, umas conversas ali, umas bebidas aqui (por mais que eu não seja fã de bebida, isso é uma festa, não é mesmo?), nada de mais. Eram quatro horas da madrugada quando a festa acabou. Todos estavam voltando para suas casas, e eu já havia pedido para dormir ali hoje. Agora já estava no quarto de hóspedes da casa da pessoa que gosto. Não demorei muito e acabei tirando um cochilo.
Estava dormindo quando ouvi alguns sons vindos do quarto do Tony. Com medo de ser algum intruso, fui silenciosamente para o quarto dele, parando na porta. Os sons estavam meio abafados, então não podia escutar direito. Foi aí que eu percebi, eram gemidos. "Ah claro, ele deve estar 'aliviando' suas necessidades agora, já que não pegou ninguém hoje", pensei. Já estava indo embora, quando ouvi um gemido um pouco mais alto, porém esse dizia "Steve". Meu coração apertou, minhas bochechas queimaram de tanto rubor. Ouvi alguns passos, então desci as escadas e fui para a cozinha, precisava de um copo d'água.
Tomei o líquido rapidamente, tentando desviar meus pensamentos. Nós dois estávamos um pouco bêbados, os pensamentos confusos, e provavelmente ele conhecia algum outro Steve, por mais que isso me pareça improvável. Suspirei e fui para o quarto, porém para minha surpresa, escutei gemidos, novamente, porém dessa vez vindos do corredor. Tinha que ir dormir, mas não queria ver ele se masturbando. Na realidade queria, mas, ai, tá, isso ta estranho, e confuso. Tomei um pouco de coragem e fui para o corredor. Acabei parando, pois o meu olhar estava preso à aquela visão. Os cabelos bagunçados, o rosto vermelho e uma de suas mãos no seu membro, fazendo movimentos de vai e vem, masturbando-se e gemendo descontroladamente. Quando recuperei o meu controle, dei uma leve tossida forçada, o que fez ele olhar para mim e vestir sua cueca imediatamente.
-Você viu capicolé? -Ele perguntou. Mesmo naquela situação ele mantinha o comportamento sarcástico. Porque, de todas as pessoas do mundo, tinha que ser ele? Cupido, se você existir, e por um acaso estiver me ouvindo, quero que saiba, que do fundo do meu coração, eu te odeio.
-Não me interessa por quem estava se masturbando, eu só quero dormir Anthony. -Disse, passando reto por ele e indo em direção ao quarto.
Quebra de tempo
Passaram-se dias desde aquele incidente. Nós nunca tocamos no assunto. Estava caminhando pela Torre, e pediram que eu chamasse Tony para a Reunião, já que ele estava atrasado, como sempre. Subi para o quarto dele, e o que eu encontro? Tony se masturbando! Parabéns para você Steve Rogers, sempre entra em momentos inoportunos.
-Já estou começando a pensar que você gosta de ver isso. Faz isso de propósito? -Disse Tony, um pouco vermelho, depois de perceber que eu estava ali, usando o travesseiro para cobrir seu membro, já que sua cueca estava jogada no canto do quarto, por sinal.
-Vai por mim, só vim aqui porque estavam te chamando para a reunião. E aí, por quem é dessa vez? - Perguntei, curioso.
-Um cara que eu conheço. -Ele respondeu.
-Opa, você é gay? -Eu perguntei, colocando a mão no peito e fingindo estar surpreso.
-Bissexual, picolé. - Ele respondeu, soltando uma risada com a minha interpretação digna de óscar.
-E eu conheço ele? - Perguntei, ironizando.
-Não sei. Conhece um loiro de olhos azuis que usa um uniforme com a bandeira americana e foi congelado por anos? Sabe, o Capitão América? Ele é bem famoso, até. -Ele respondeu, mirando seus olhos no meus. Aquele desgraçado sarcástico, deve estar mentindo. Será?
-Sério isso? -Perguntei, não podia ser verdade.
Percebi que ele voltou seu olhar para a parede ao seu lado direito, o oposto da minha atual posição, tentando desviar, um pouco corado. Eu fechei a porta e a tranquei. O barulho emitido fez com que ele olhasse para mim, um pouco surpreso.
-O que está..-Interrompi ele com um beijo.
Ele não disse mais nada, apenas se entregou ao momento. O beijo foi se aprofundando, mostrando todo o nosso desejo e luxúria que estávamos sentindo. Fui descendo para o seu pescoço, podia ver seu corpo reagindo a cada suspiro que eu dava. Comecei a distribuir beijos e chupões por toda a extensão do pescoço. Tirei sua blusa e continuei com os beijos, mordidas e chupões, até encontrar os seus mamilos. Comecei a mordicar, chupar, apertar, sugar, a fazer de tudo enquanto o outro eu estimulava, assim trocando depois.
Tirei minha blusa, jogando-a em qualquer lugar, tomando seus lábios em outro beijo, profundo, molhado, sensual e muito, muito tentador. Nos separamos devido a falta de ar, e pude ver o avermelhado dos seus lábios, e sua face corada. Passei minha mão pelo seu membro, podendo sentir sua ereção, enquanto o beijava novamente. Tirei sua calça, ainda o beijando, junto com sua cueca.
Aproximei dois dedos perto de sua boca, ele simplesmente entendeu e começou a lubrificá-los com sua saliva. Quando terminou, coloquei os dedos na sua entrada. Ele gemeu como resposta, sentindo um pequeno incômodo. Esperei ele se acostumar para poder me movimentar. Movimentos leves, de vai e vem, e depois em forma de tesoura, para poder acostumá-lo.
-Ste...ah...ve..-Ele me chamava em meio aos gemidos-Vai logo!-Suplicou.
-O que você quer? - Perguntei, dando um sorriso e olhar sedutor.
-Me..argh..Fode..agora..-Ele falou, ou melhor, tentou, em meio a gemidos e respirações.
-Ainda não, vou torturá-lo um pouco. -Falei, me divertindo.
Tirei meus dedos de sua entrada e fui trilhando um caminho de beijos até seu membro, abocanhando-o logo em seguida, fazendo movimentos circulares com minha língua sobre toda a extensão. Masturbava toda a região que ficava de fora, no mesmo ritmo. A cada movimento que minha boca fazia, ouvia meu nome sendo gemido. Até que Tony se desmanchou na minha boca. Engoli seu líquido, beijando-o logo em seguida.
Minha ereção já estava muito visível, então, sem mais demora, tirei minha calça e minha cueca em um único movimento, me posicionando na sua entrada.
Já não podia mais aguentar. Coloquei tudo de uma vez, tendo como resposta um gemido realmente alto, que poderia ser confundido com um grito de dor, e Tony arqueando suas costas. Esperei ele me confirmar com a cabeça para começar as estocadas.
Quando percebi que já podia me movimentar, comecei com estocadas leves, aumentando o ritmo a cada vez que ele gemia meu nome, chegando a um ritmo frenético e louco. As gotas de suor nos nossos corpos estavam bem visíveis a essa altura. Não demorou muito para eu achar sua próstata, fazendo-o gemer ainda mais alto. Ele gozou primeiro, no meu peitoral, e um pouco depois eu acabei gozando também.
Cai ao seu lado, exausto. Olhei para Tony, seu rosto estava totalmente corado, e um pouco suado. Pouco, em comparação ao resto do corpo. Então, aproveitando essa situação, olhei dentro dos seus olhos e finalmente falando:
-Eu te amo.
-Eu também te amo -Ele disse, me olhando com seus olhos, seus irritantemente lindos olhos, que brilhavam graças a felicidade.
-Você é meu agora. -Disse isso e beijei sua testa, com carinho e cuidado.
-Sempre fui. -Ele respondeu e soltou uma risada fraca.
Olhei no relógio, estávamos realmente atrasados. Eu e ele nos olhamos e começamos a nos vestir mais rápido que o Mercúrio, indo correndo até a reunião, onde todos, repito, todos, nos olharam com olhares maliciosos. Aí eu lembrei que estávamos suados, corados e com os cabelos despenteados, além das nossas roupas, que estavam totalmente bagunçadas.
-Agora eu entendi porque você foi chamar ele Steve - Disse o Gavião Arqueiro.
-Ah cala a boca que eu sei que você dá uns pegas no Pietro - Respondeu o Tony.
-Então vocês realmente transaram! - Falou Natasha, ou melhor, gritou - E aí Cap, como é não ser mais virgem? - Perguntou, sarcástica.
-Em minha defesa, nem parecia que ele era virgem, acho que ser congelado faz bem para as "habilidades sexuais"- Falou Tony, fazendo um sinal de aspas enquanto falava "habilidades sexuais".
E eu? Um pimentão. Melhor reação do mundo, mereço um prêmio.
E assim a reunião seguiu, com nós dois sendo apoiados e zoados.

2 comentários

  1. Oieee , tudo bom? Amei o One Shot :3 Estou seguindo para acompanhar. A afiliação está aceita já coloquei seu link do meu blog.

    webunny.blogspot.com

    ResponderExcluir